Ontem (quarta, 22 de junho de 2016), na estreia do seu programa, “Any given Wednesday” na HBO, o competente jornalista americano Bill Simmons, conhecido como expert na história da NBA, ousadamente afirmou que Lebron James já está entre os três maiores jogadores em todos os tempos, e que suas primeiras 13 temporadas na NBA: “foram maiores que as 13 primeiras temporadas de qualquer outro: 4 MVP’s, 3 ‘Finals MVP’s’, 6 finais seguidas, 9 escolhas seguidas para o ‘All NBA first team’, uma virada histórica, e ele é o superastro mais durável da história da NBA. Ele nunca sofreu uma lesão séria. Ele jogou 199 de 199 jogos de playoffs. Ele acumulou quase 47 mil minutos em 13 temporadas. Apenas Wilt Chamberlain teve uma maior carga de trabalho. But mas ele enfrentava contra um bando de magrelos brancos (nota do autor: impressionante ver um especialista repetir lendas populares; magrelos brancos como Nate Thurmond?). Lebron James está a caminho de se tornar o GOAT (greatest of all time: maior de todos os tempos). Tipo, sinceramente, está entre ele, MJ (Jordan) e Russell. Ele já passou Kareem. Ele até já passou meus heróis, Bird e Magic”.

Antes de comentar as palavras de Bill Simmons (por sinal, gosto muito do seu trabalho) essencial ler parte da entrevista que ele próprio fez com o grande Julius Erving (or Dr. J) em 2013 (para ouvir integralmente, clique aqui) :

Simmons — Quem você considera, entre os caras de sua geração… Você acha que Moses foi o mais subestimado?

Dr. J — Bem, Moses é o mais subestimado.. Kareem é o maior. Digo, em termos de pivôs em todos os tempos, Kareem é o cara número um. Em termos de jogadores em todos os tempos. Kareem ainda é o cara número um.

Simmons — É mesmo?

Dr. J — Ele é o cara com quem você deve começar sua franquia.

Simmons — Porque você ganha 20 anos.

Dr. J — Você ganha 20 anos e liderança.  Você ganha excelência em termos ofensivos, defensivos e de desvendar as coisas, e conquistas. Digo, sabe, seus números dizem muita coisa. E só porque ele tinha um gênio ruim, há muitos que o desrespeitam. Mas ele nunca teve um gênio ruim comigo. E, sabe, eu o conheci lá atrás em 1970 e eu não acho que tenha existido uma arma mais potente a ter pisado numa quadra de basquete que Kareem Abdul-Jabbar. Tanto faz se Lew Alcindor or Kareem Abdul-Jabbar, alguém desrespeitado, subestimado, deixado de fora das discussões. Veja, eu estava numa mesa redonda na TNT. Kareem não estava em discussão e eles estavam falando sobre pivôs. E eu estava, tipo: “É sério isso” (risadas) Como você pode fazer isso?

Simmons — Ele não pode ficar abaixo de terceiro melhor de todos os tempos. Não dá. Além disso, ele ganhou… Quantos títulos ele ganhou? Tipo 7? E ele ganhou tipo 5 títulos. Ou talvez ele ganhou mais do que isso. Ele pode ter ganho 6 títulos. Sim, os recordes falam por si. Eu odeio o Lakers, então é difícil admitir, mas Kareem, você não pode negar as estatísticas, não pode negar os números.

Dr. J — Veja, às vezes, os números não contam toda a história.

Simmons — É verdade. Eu só estou dizendo que o puro currículo…

Dr. J — Mas quando você tem as estatísticas e você tem a história.

Simmons — E os títulos.

Dr. J — Qual é?

Simmons — É.

Dr. J — Por que ser um hater? Digo, qual é.

Simmons — Verdade.

Acredito que se pode perceber que Bill Simmons não prestou a devida atenção às sábias palavras do Dr. J, pois desmerece Kareem ao considerá-lo superado por Lebron. Importante advertir que não desvalorizo o grande superastro do Cavaliers; certamente ele já é um dos 10 ou, talvez, 5 maiores de todos os tempos.

Pois bem, prossigamos às justificativas de Bill Simmons. Inicialmente, ele diz que ninguém teve melhores 13 primeiras anos que Lebron. O quê? Como Simmons pôde ser tão contraditório? Ora, a carreira de Bill Russell (lenda do Celtics com 11 títulos e 5 MVP’s), jogador entre os 3 melhores de sempre segundo Simmons, durou exatamente 13 anos (não utilizo Jordan como exemplo, pois o jornalista falou em anos, não em temporadas). Logo, por que Lebron não ultrapassou Russell? Aí entra, possivelmente, não o grande jornalista, mas o torcedor do Celtics e assumido “hater do Lakers”. Esta pode ser também a razão pela qual ele ouse dizer que Lebron superou Kareem.

Como eu escrevi em um post anterior, mesmo que eu pessoalmente discorde, acredito que Kareem abdul Jabbar possui argumentos para ser considerado maior do que  o próprio Jordan (quanto mais Lebron, que possui menos títulos e MVP’s): longevidade superior (finals MVP aos 38 anos); ter vencido os mesmos 6 títulos de Jordan; recordistas de pontos e de MVP’s (6, um a mais que Jordan) na história da NBA; detentor do “skyhook” (clique aqui para asssitir à execução desse tipo de gancho por Jabbar), o arremesso mais indefensável e eficaz da história do basquetebol (até hoje não emulado perfeitamente; mesmo um monstro como Dirk Nowitzki admitiu a dificuldade em  dominar o “skyhook”). Aliás, sobre o histórico de Kareem, como Simmons, conhecido especialista na história da NBA, não sabe “de cabeça” quantos MVP’s e títulos Jabbar conquistou na carreira? Inacreditável!

Tudo isso significa que Lebron jamais poderá ultrapassar Kareem? Lógico que não. Mas dizer que já conseguiu é desmerecer os feitos do grande pivô. Se, segundo as palavras de Simmons, o seu “recorde fala por si mesmo”, se “você não pode negar os números”, “não pode negar as estatísticas” de Jabbar, pode-se utilizar os argumentos do Dr. J  para perguntar ao jornalista americano: “Por que ser um ‘hater’?”.

 

Share Button