Blog do Otávio

Futebol, política, religião, cultura, história e outros assuntos interessantes

Futebol

Seleção e os maiores jogadores de cada era do futebol

Imagem retirada de: http://www.marca.com/en/2015/01/14/en/football/real_madrid/1421235552.html

Imagem retirada de: http://www.marca.com/en/2015/01/14/en/football/real_madrid/1421235552.html

Em mais um post sobre as grandes lendas do futebol, escalo aqui as seleções e escolho os maiores (não, necessariamente, os melhores) jogadores de cada era do esporte: 1955 a 1975; 1976 a 1996; e 1997 até 2016.  Optei por essa divisão, pois quis um período de vinte anos para cada equipe (não farei a seleção pré-1950, porque não tenho tanto conhecimento sobre aqueles anos).  Colocarei cada jogador na era na qual teve os melhores anos de sua carreira, independente da sua idade à época.

As cores de cada seleção têm relação com o futebol símbolo do período. Dessa maneira: Brasil para 55 a 75 (campeão da Copa do Mundo em 58, 62 e 70) , Argentina, 76 a 96 (campeã da Copa do Mundo em 1978 e 1986); e Barcelona, 97 até 2016 (campeão da Champions League em 2006, 2009, 2011 e 2015).

1)1955 a 1975

 

55-75-XI

Lev Yashin (URSS); Djalma Santos (BRA), Carlos Alberto Torres (BRA), Bobby Moore (ING) e Nilton Santos (BRA); Franz Beckenbauer (ALE), Johan Cruyff (HOL) e Pelé (BRA); Garrincha (BRA), Alfredo Di Stéfano (ARG) e Ferenc Puskás (HUN).

Técnicos: Rinus Michels (HOL).

Três maiores: Pelé, Cruyff e Di Stéfano, nesta ordem.

Nessa seleção fantástica, quase todos os craques estão basicamente em suas posições originais (sobre Pelé, clique aqui), menos Cruyff (bem mais recuado), Beckenbauer (um pouco mais avançado que um líbero puro; bom lembrar que ele jogou no meio de campo na Copa de 1966) e Carlos Alberto Torres (como zagueiro, função que também desempenhou com perfeição, sobretudo no final de sua carreira).

Pelé, Di Stéfano, Cruyff e Puskas, grandes goleadores e armadores, poderiam rodar e trocar posições durante toda a partida, sob as instruções do técnico da Holanda em 74, Rinus Michels. Garrincha jogaria mais fixo na ponta-direita (foi extremamente difícil escolher dois entre Eusébio, Garrincha e Puskas, acabei retirando Eusébio, apesar de acreditar que não existe opção errada quando se trata desses três magníficos jogadores).  Como marcar esse time?

Time B: Gordon Banks (ING); Berti Vogts (ALE), José Santamaria (URU), Elias Figueroa (CHI) e Giacinto Facchetti (ITA); Zito (BRA), Didi (BRA), Bobby  Charlton (ING) e Rivellino (BRA); Eusébio (POR) e Gerd Müller (ALE).

Time C: Ladislao Mazurkiewicz (URU); De Sordi (BRA) Cesare Maldini (ITA), Atilio Ancheta (URU) e Karl-Heinz Schnellinger (ALE); Clodoaldo (BRA), Gérson (BRA) e Tostão (BRA); Jairzinho (BRA, como ponta improvisado, assim como na Copa de 1970), George Best (IRN) e John Charles (PGL).

Outros grandes nomes: Günter Netzer (ALE), Sepp Maier (ALE), Uwe Seeler (ALE), Wolfgang Overath (ALE) Antonio Rattín (ARG), José SanFilippo (ARG), Omar Sívori (ARG), Roberto Perfumo (ARG), Silvio Marzolini (ARG), Paul Van Himst (BEL), Ademir da Guia (BRA), Amarildo (BRA), Coutinho (BRA), Dino Sani (BRA), Dirceu Lopes (BRA), Gylmar (BRA), Leão (BRA), Luis Pereira (BRA), Mauro Ramos de Oliveira (BRA), Paulo Cesar Caju (BRA), Pepe (BRA), Wilson Piazza (BRA), Zagallo (BRA), Georgi Asparuhov (BUL), Ivo Viktor (CZE), Josef Masopust (CZE), Alberto Spencer (EQU), Billy McNeill (ESC), Dennis Law (ESC), Amancio Amaro (ESP), Francisco Gento (ESP), Luis Suárez (ESP), Just Fontaine (FRA),  Raymond Kopa (FRA), Johan Neeskens (HOL), Willem van Hanegem (HOL), Florian Albert (HUN), László Kubala (HUN),  Zoltán Czibor (HUN), Geoff Hurst (ING), Jimmy Greaves (ING), Enrico Albertosi (ITA), Gianni Rivera (ITA), José Altafini (ITA/BRA),Luigi Riva (ITA), Sandro Mazzola (ITA), Dragan Dzajic (IUG), Héctor Chumpitaz (PER), Teófilo Cubillas (PER), Mario Coluna (POR),  Simões (POR),  Vicente Lucas (POR), Pedro Rocha (URU), Oleg Blokhin (URSS), entre outros.

2) 1976 a 1996

7696XI

 

Dino Zoff (ITA); Leandro (BRA), Daniel Passarella (ARG), Franco Baresi (ITA) e Paolo Madini (ITA); Frank Rijkaard (HOL), Lothar Matthäus (ALE), Zico (BRA), Michel Platini (FRA) e Maradona (ARG); Romario (BRA).

Técnico: Arrigo Sacchi (ITA)

Três maiores: Maradona, Platini e Zico, nesta ordem.

Não faltaria liderança nesse super time. Sete jogadores foram capitães de suas seleções em Copas do Mundo: Passarella (1978), Zoff (1978 e 1982), Platini (1982 e 1986), Maradona (1986, 1990 e 1994), Matthäus (1990 e 1994), Baresi (1994) e Maldini (1998). Inclusive, quatro desses levantaram a Taça da Copa do Mundo como capitães: Passarella (1978), Zoff (1982), Maradona (1986) e Matthäus (1990).  Não se pode olvidar que Zico também foi capitão do Flamengo por muitos anos.

Zico e Platini jogariam um pouco mais recuados para que Maradona tivesse total liberdade. Romário estaria numa posição dos sonhos, servido por três dos maiores meias da história: Platini, Zico e Maradona.

Alfim, vale dize que, para mim, Falcão foi mais jogador que Rijkaard, porém, optei pelo holandês, por considerá-lo melhor na marcação, capaz, inclusive, de recuar até a zaga, e, também,  por ser  homem de confiança do técnico Arrigo Sacchi.

Time B: Schumacher (ALE); Jorginho (BRA), Gaetano Scirea (ITA), Ruud Krol (HOL) e Júnior (BRA); Falcão (BRA), Ossie Ardiles (ARG) e Michael Laudrup (DEN); Roberto Baggio (ITA), Mario Kempes (ARG) e Marco Van Basten (HOL).

Time C: Taffarel (BRA), Manuel Amoros (FRA), Aldair (BRA), Giuseppe Bergomi (ITA) e Andreas Bhremme (ALE); Breitner (ALE), Sócrates (BRA) e Ruud Gullit (HOL); Karl-Heinz Rummenigge (ALE), Kevin Keegan (ING) e Paolo Rossi (ITA).

Outros jogadores: Bernd Schuster (ALE), Jürgen Klinsmann (ALE), Matthias Sammer (ALE), Rudi Völler (ALE), Thomas Häßler (ALE), Claudio Cannigia (ARG), Jorge Burruchaga (ARG), Oscar Ruggeri (ARG), Ubaldo Fillol (ARG), Franky Van der Elst (BEL), Jan Ceulemans (BEL), Jean-Marie Pfaff (BEL), Michel Preud’homme (BEL), Bebeto (BRA), Careca (BRA), Dunga (BRA), Raí (BRA), Reinaldo (BRA), Roberto Dinamite (BRA), Toninho Cerezo (BRA), Hristo Stoichkov (BUL), Roger Milla (CAM), Iván Zamorano (CHI), Allan Simonsen (DEN), Preben Elkjær (DEN), Kenny Dalglish (ESC), Andoni Zubizarreta (ESP), Emilio Butragueño (ESP), Alain Giresse (FRA), Eric Cantona (FRA), Jean Tigana (FRA), Jean-Pierre Papin (FRA), Marius Trésor (FRA), Abedi Pele (GHA), Dennis Bergkamp (HOL), Rob Rensenbrink (HOL), Ronald Koeman (HOL), Gary Lineker (ING), Peter Shilton (ING), Claudio Gentile (ITA), Gianluca Pagliuca (ITA), Marco Tardelli (ITA), Roberto Bettega (ITA), Dejan Savićević (IUG), George Weah (LIB),  Hugo Sánchez (MEX), Romerito (PAR), Grzegorz Lato (POL), Kazimierz Deyna (POL), Zbigniew Boniek (POL), Gheorghe Hagi (ROM), Igor Belanov (URSS), Rinat Dasayev (URSS), Enzo Francescoli (URU), entre outros.

3) 1997 a 2006

972016XI

Gianluca Buffon (ITA); Cafu (BRA), Alessandro Nesta (ITA), Fabio Cannavaro (ITA) e Roberto Carlos (BRA); Andrea Pirlo (ITA), Zidane (FRA) e Ronaldinho (BRA); Messi (ARG), Ronaldo (BRA) e Cristiano Ronaldo (POR).

Técnico: Guardiola (ESP).

Três maiores: Messi, Cristiano Ronaldo e Ronaldo, nesta ordem.

O futebol contemporâneo também teria um time fantástico, unindo técnica, força, grandes armadores (Pirlo, Zidane, Ronaldinho, Messi) e artilheiros (os dois Ronaldos e Messi). Para caber esses craques na seleção, coloquei Ronaldinho (este, mais centralizado do que no seu auge) e Zidane um pouco mais recuados.

Pirlo, Zidane, Ronaldinho, Cristiano, Ronaldo e Messi comandados por Guardiola? Maravilhosamente assustador!

Time B: Peter Schmeichel (DEN); Javier Zanetti (ARG), John Terry (ING), Sérgio Ramos (ESP) e Philip Lahm (ALE; ele foi lateral esquerdo no início da carreira);  Fernando Redondo (ARG), Figo (POR), Iniesta (ESP) e Rivaldo (BRA); Raul (ESP) e Henry (FRA).

Time C: Oliver Kahn (ALE); Lilian Thuram (FRA), Marcel Desailly (FRA), Carles Puyol (ESP) e Ashley Cole (ENG); Patrick Vieira (FRA), Xavi (ESP), Pavel Nedvěd (CZ) e Kaká (BRA); Zlatain Ibrahimovic (SUE) e Gabriel Batistuta (ARG).

Outros jogadores: Bastian Schweinsteiger (ALE), Manuel Neuer (ALE), Mesut Özil (ALE), Michael Ballack (ALE), Miroslav Klose (ALE), Thomas Müller (ALE), Tony Kroos (ALE), Angel Di Maria (ARG), Hernán Crespo (ARG), Javier Mascherano (ARG), Juan Roman Riquelme (ARG), Juan Sebastian Veron (ARG), Daniel Alves (BRA), Dida (BRA), Marcos (BRA), Neymar (BRA), Rogério Ceni (BRA), Thiago Silva (BRA), Samuel Eto’o (CAM), Didier Drogba (CIV), Yaya Touré (CIV), Davor Šuker (CRO), Cesc Fàbregas (ESP), David Villa (ESP), Gerard Piqué (ESP), Iker Casillas (ESP), Xabi Alonso (ESP),  David Trezeguet (FRA), Didier Deschamps (FRA), Frank Ribèry (FRA), Arjen Robben (HOL), Clarence Seedorf (HOL), Edgar Davids (HOL), Ruud Van Nistelrooy (HOL), Van der Sar (HOL), David Beckham (ING), Frank Lampard (ING), Michael Owen (ING), Paul Scholes (ING), Steven Gerrard (ING), Wayne Rooney (ING), Roy Keane (IRL), Predrag Mijatović (IUG), Alessandro Del Piero (ITA), Christian Vieri (ITA),  Francesco Totti (ITA), Gareth Bale (PGL), Ryan Giggs (PGL), Deco (POR), Rui Costa (POR), Andriy Shevchenko (UCR),  Luis Suarez (URU) entre outros.

Espero que tenham gostado. Infelizmente, jamais saberemos qual seleção venceria esses duelos. Eu colocaria minhas fichas na seleção de 1955 a 1975, pela presença de talvez cinco dos oito maiores jogadores da história: Pelé (o maior de todos), Cruyff, Di Stéfano, Beckenbauer e Garrincha. A seleção estrelada por Maradona parece mais harmônica e compacta, com mais marcadores, enquanto a contemporânea tem a força e a modernidade ao seu lado.  E vocês, o que acham?

 

Share Button

4 Comments

  1. Gabriel de Araújo Dias

    Gostei da divisão em 3 períodos. Assim, foi possível fazer justiça com os craques. Em que pese haver uma pequena margem para subjetividade, as escolhas foram muito coerentes. Concordo com quase tudo! Seguem meus pitacos:
    Romário > Zico
    Falcão > Rijkaard
    Cr7 > Messi
    Iniesta > Pirlo
    Sérgio Ramos > Nesta

    Parabéns, pelo texto! Gosto bastante do blog!

    • Otávio Pinto

      Suas escolhas são justas, amigo. Não há resposta errada quando tratamos de craques desse nível. Abraço.

  2. Adorei as escolhas, são super balanceadas, concordo plenamente.

Leave a Reply

Loading Facebook Comments ...

Theme by Anders Norén