Pelé e Messi são os dois artilheiros mais geniais e dominantes da história do futebol. Seus números impressionam de maneira singular, pois não são centroavantes de ofício como Romário, Josef Bican, Gerd Mueller, Ronaldo, entre outros. Pelé era o “camisa 10”, jogava na posição que se conhecia por “ponta de lança” ou “meia-esquerda”, uma espécie de mistura entre o meia-atacante e o segundo atacante do futebol atual; enquanto Messi começou como ponta direita, jogou muito tempo como um “falso 9” e hoje atua como legítimo “camisa 10”, “arco e flecha” (o jogador que arma e também faz muitos gols) como Pelé.

Pois bem, a cada feito incrível do genial Argentino, aumentam as comparações e alguns ousam até a dizer que superou o grande rei brasileiro. Em razão disso, resolvi pesquisar os números dos dois atletas e coloca-los frente a frente.
Para tornar a comparação a mais próxima possível, contarei apenas os gols de Pelé e Messi por seus clubes em jogos de competições oficiais. Apesar de reconhecer que os amistosos na época do “Rei” tinham outro peso, a eliminação impede acusações de injustiça em razão do número diminuto de amistosos disputados por “La Pulga”. Assim, de um lado entram gols no Campeonato Paulista, Torneio Rio-São Paulo, Taça Brasil/Robertão (campeonato nacional da época), Libertadores e Intercontinental; do outro, Campeonato Espanhol, Super Copa da Espanha, Copa Do Rei, Champions League, Super Copa da Europa e Mundial de clubes.
Quanto às seleções, adotarei o critério da FIFA e contarei torneios oficiais e amistosos entre seleções, mas não aqueles contra clubes ou combinados.
Ademais, como Messi fará em algumas semanas 28 anos, apenas contabilizarei os jogos e gols de Pelé até a mesma idade.

Através da análise das fichas técnicas de todos os jogos de ambos jogadores por seus clubes e seleções, chegaremos a dados importantes sobre suas carreiras. Destaco o número de jogos, vitórias, empates e derrotas; média de pontos conquistados (adotar-se-á o critério contemporâneo de 3 pontos para vitória); total e média de gols; porcentagem dos tentos em relação ao número de gols dos times e dos jogos disputados (o que torna mais justa a comparação em razão da maior quantidade de gols na época do “Rei”); e o desempenho de Santos/Brasil e Barcelona/Argentina com e sem Pelé e Messi. Claro que as participações em Copas do Mundo não serão esquecidas.

Enfim, vamos aos números!

Continuação:

Part II – Desempenho em clubes.

Parte III – Desempenho em seleções

Parte IV – Conclusão

Bônus:

Tinha um sul-americano genial no meio do caminho: Pelé x Eusébio e Messi x Cristiano Ronaldo

Pelé e Messi em finais

Fontes:

Nascimento, Guilherme. Almanaque do Santos FC: 1912-2012. 1º edição. São Paulo: Magma Cultural e Editora, 2012.

http://br.soccerway.com/teams/argentina/argentina/132/matches/

http://www.rsssf.com/miscellaneous/messi-intlg.html

http://www.rsssfbrasil.com/sel/national.htm

http://www.footballdatabase.eu/

Share Button